Árvore na terra ou em vasos?

Photo by Drew Farwell on Unsplash
Photo by Drew Farwell on Unsplash

O Salmo primeiro fala de um tipo de homem feliz!
Um tipo que tem satisfação em conhecer a lei do Senhor e nela meditar frequentemente.
Esse tipo é comparado a uma árvore plantada próximo de um rio.

Num rio há vida.
Um rio está sempre em movimento.
Num rio há sempre renovação. 

Uma árvore plantada no solo, nas condições citadas no salmo, dará seus frutos na estação apropriada, não ficará desfolhada na estiagem e terá uma vida longa e saudável.

Entretanto, se a mesma árvore estiver plantada num vaso, terá seu crescimento reduzido, sua produção de frutos e folhas comprometidos sempre dependerá de alguém para regar e colocar nutrientes no vaso. E se não houver quem o faça, é só uma questão de tempo até murchar e morrer. E então terá no máximo uma última função: ser queimada. 

Como homens remidos pelo sangue de Cristo na cruz, precisamos ser como a árvore relatada no salmo.

Entretanto, só o seremos se estivermos enraizados na palavra de Deus a fim dar frutos e sombra, e assim como a árvore, que não produz frutos ou sombra para si, precisamos ser alimento para os famintos. Um oásis para os que peregrinam no deserto. 

Precisamos ter a vida que flui através de Cristo em nós e para isso, precisamos sair dos nossos “vasos”, abandonar dependência de um “cultivador”, e nos lançarmos diretamente na terra, no solo, onde teremos tudo o que precisamos para uma abundante, próspera, bem-sucedida.

Não mais “caixinhas de promessas,” “versículo do dia”, “revelações do momento”, mas porções dadas por Deus conforme a nossa maturidade, nosso crescimento na graça e no conhecimento de Sua vontade.

 

Que o nosso viver seja conforme a vontade de Deus e que a sua graça seja abundante em nossas vidas a fim de que possamos comprir a sua vontade até que ele venha.

 

Texto base: Salmos 1